A humanização da arquitetura hospitalar contribui para o bem-estar de pacientes, médicos e colaboradores

 

A afirmação é da arquiteta Denise Olinda, responsável pelo projeto do núcleo de Atenção Integral à Saúde da Unimed Ceará

 

 

Um termo muito utilizado nos dias atuais para quem trabalha com arquitetura e design é a humanização dos espaços. Os ambientes que têm ganhado cada vez mais atenção por profissionais da área são justamente aqueles destinados à prestação de serviços à saúde, como clínicas, hospitais, consultórios, dentre outros. Isso porque a humanização, aplicada de forma satisfatória, irá refletir diretamente no comportamento não apenas do paciente, mas também do colaborador e de todo o corpo clínico.

 

A arquiteta e urbanista Denise Olinda, especialista em projetos na área da saúde, revela que a arquitetura hospitalar está intimamente relacionada ao equilíbrio entre corpo e mente, interferindo inclusive no bem-estar e no conforto dos pacientes. Tanto que é bastante comum a sensação de desconforto durante a espera por um atendimento na emergência ou em determinadas consultas médicas. “Muito provavelmente, a falta de cuidado com a arquitetura desses espaços contribuiu para essa experiência desfavorável, já que o ambiente tem um papel importante nas nossas sensações e emoções, podendo gerar e/ou potencializar o estresse, a inquietação, a irritação e a dor”, explica Denise.

 

De acordo com a arquiteta, a ambientação dos espaços voltados para a área da saúde também não pode ser dissociada do atendimento. É o conjunto que torna a experiência agradável, acolhedora, menos dolorosa, contribuindo para favorecer sensações como tranquilidade e conforto. A arquitetura, dessa forma, deve ser enxergada como uma aliada no momento de dor e angústia.

 

“Por isso, na hora de criar um projeto com essa finalidade, é vital conhecer as necessidades para proporcionar uma melhor vivência do espaço de forma receptiva, aconchegante e funcional. Sempre, claro, buscando valorizar a humanização, ou seja, repensar os espaços com o objetivo de trazer soluções satisfatórias para o atendimento e acolhimento das pessoas. É importante, também, projetar espaços que levem em consideração o conforto ambiental e térmico, fluxos, distrações positivas, áreas acessíveis a todos os indivíduos e sinalização”, destaca Denise Olinda que, através da DP Arquitetura, da qual é sócia, assinou projetos para o núcleo de Atenção Integral à Saúde da Unimed Ceará, Hospital Vale do Jaguaribe, espaço infantil do Colégio Dáulia Bringel, Posto Guarda-Vidas na Praia do Futuro, espaço desenvolvido pela Unimed Fortaleza em parceria com o Governo do Estado e o Corpo de Bombeiros, dentre outros

ultimas

Assine nossa newsletter e receba todas as novidades !