Aneel aprova redução da tarifa da ENEL DistribuiçãoCeará

 

– Redução para clientes baixa tensão será de 3,03%;

– Novas tarifas entram em vigor na próxima segunda-feira (22/04).

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira uma redução média de 2,81% nas tarifas da Enel Distribuição Ceará. A queda no valor das tarifas passa a vigorar a partir da próxima segunda-feira (22). Para os clientes de baixa tensão, que são os clientes residenciais e pequenos comércios, a redução será de 3,03%. Para os clientes de média e alta tensão, em geral indústrias e grandes comércios, haverá uma redução de 2,10%.

  

A redução nas tarifas da Enel Ceará é explicada, principalmente, pela queda nos custos com a compra de energia (-8,67%) e pela variação negativa do índice IGPM nos últimos 12 meses

(-4,63%). A parcela da tarifa que é repassada à distribuidora (chamada parcela B) também caiu (-2,41% em média) e contribuiu diretamente para a redução no valor total das tarifas aos consumidores.

 

A conta de energia é composta por custos que não estão relacionados apenas aos serviços de distribuição, o que significa que parte dos custos não são gerenciados pela Enel Ceará, como impostos, encargos setoriais e custos de geração e transmissão de energia, entre outros. As tarifas são definidas pela agência reguladora, a Aneel, com base em leis e regulamentos federais.

 

“É importante esclarecer que, em uma fatura de energia no valor de R$ 100, somente R$ 29,3 são destinados à Enel Distribuição Ceará para operação, expansão, manutenção da rede de energia e para remuneração dos investimentos. Os demais itens são custos não gerenciados pela companhia e repassados às empresas de geração, transmissão e ao Governo Federal”, explica Hugo Lamin, Diretor de Regulação da Enel Brasil.

Confira no gráfico abaixo como fica a composição da conta de energia da companhia após a aprovação da revisão tarifária divulgada hoje: 

 

Investimentos

 

A empresa investiu, nos últimos cinco anos, R$ 5,9 bilhões no Ceará, em expansão da rede, novas tecnologias, adequação da infraestrutura e novas subestações. Só em 2023 foi investido R$ 1,6 bilhão, o maior investimento da série histórica da companhia. Como resultado, a distribuidora registrou avanços nos índices de qualidade medidos pela ANEEL. De 2020 para 2023, a duração média das interrupções no fornecimento (medida pelo indicador DEC) reduziu em 30,73% e a quantidade média das interrupções (indicador FEC) em 38,09%. Os dois índices estão, agora, abaixo dos limites estabelecidos pela Aneel.

 

 

ultimas

Assine nossa newsletter e receba todas as novidades !