Sessão especial de “Um Pedaço do Mundo” no Cineteatro São Luiz

 

Em parceria com o grupo Mães da Resistência, o Cineteatro São Luiz apresenta sessão especial do longa-metragem cearense “Um Pedaço do Mundo”, documentário sobre a vivência de mães de pessoas LGBTQIAP+ em Fortaleza. O filme foi o vencedor dos prêmios de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Roteiro do Festival For Rainbow 2022.

 

 

SOBRE A SESSÃO

 

O Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult Ce) gerido pelo Instituto Dragão do Mar (IDM), exibirá o documentário cearense “Um Pedaço do Mundo” no dia 5 de maio de 2023, às 19h, em sessão única. Após o filme, haverá um debate promovido pelo grupo Mães da Resistência. O evento é gratuito, com entrada mediante apresentação de documento com foto, sem retirada de ingressos. O filme conta com legenda descritiva (closed-caption).

 

 

SOBRE O FILME

 

“Um Pedaço do Mundo” acompanha a vida de quatro mulheres distintas, mães de pessoas LGBTQIAP+, que compartilham com o público suas vidas, seus processos de aceitação e suas experiências de maternidade, formando um mosaico plural de vivências permeadas por muitos desafios, mas também por muito amor.

 

O filme, dirigido por Tarcísio Rocha Filho, Victor Costa Lopes e Wislan Esmeraldo, busca levantar o debate sobre diversidade sexual e de gênero a partir do ponto de vista das mães.

 

“Eu sempre fui muito próximo da minha mãe, partilhando com ela vários aspectos da minha vida. No caso da sexualidade não foi diferente, mas construir esse espaço de diálogo com ela não foi fácil. Saber que ela tinha expectativas para mim que estavam longe de serem correspondidas foi o dilema da minha vida durante anos. O que mais me motivou a realizar ‘Um Pedaço do Mundo’ foi a possibilidade de construir esse terreno para outras pessoas”, explica Wislan Esmeraldo.

 

“Normalmente entendemos o amor de mãe como uma força poderosa, indestrutível e universal. O filme aposta nessa força para sensibilizar vivências que muitas vezes são vítimas de preconceito e violência. Mas também foi muito importante não reduzir a vida das personagens do filme ao arquétipo ‘mãe’. Buscamos nos aprofundar nas diferentes experiências de vida, no cotidiano das personagens, dando voz e espaço para que elas construíssem suas próprias narrativas para além da maternidade”, observa Victor Costa Lopes.

 

“Compartilhar conosco suas experiências de dor e de amor foi um gesto de imensa generosidade e coragem das famílias que filmamos. Nosso maior desejo é que esse filme atinja o máximo de pessoas possível, contribuindo para tornar realidade o direito de existência de famílias como aquelas retratadas no filme”, destaca Tarcísio Rocha Filho.

 

 

TRAJETÓRIA DO FILME

 

Realizado pela produtora cearense Orla Filmes e produzido por Luciana Vieira, “Um Pedaço do Mundo” foi financiado pela Lei Aldir Blanc a partir de um edital aberto pela SECULT-CE em 2020 e também contou com o apoio do “Show me The Fund – De volta aos Sets”, uma iniciativa do Brazilian Content, Cinema do Brasil e Projeto Paradiso. O projeto foi filmado em 2021 e, no mesmo ano, participou do Laboratório de Montagem do XVII Panorama Internacional Coisa de Cinema.

 

O filme teve sua estreia em novembro de 2022 no XVIII Panorama Internacional Coisa de Cinema. Desde então, também foi selecionado e exibido no 30º Festival MixBrasil, no Merlinka – International Queer Film Festival 2022 e no 16º For Rainbow 2022, onde foi premiado nas categorias de Melhor filme, Melhor direção e Melhor roteiro.

 

Em janeiro de 2023, o filme também foi exibido na Mostra que desejo – Edição Rio de Janeiro e tem previsão de estreia em um canal de TV fechada de alcance nacional nas próximas semanas.

 

“Contar com o apoio do Estado através da Lei Aldir Blanc para a realização deste filme não foi apenas fundamental – sem este apoio, provavelmente o filme não existiria – mas sobretudo importante para posicionar o Ceará dentro do centro de uma discussão tão relevante como a causa LGBTQIAP+, sobretudo através de um discurso positivo, amoroso, de apoio e acolhimento. Estamos muito honrados do filme ter conquistado essa confiança do edital e ainda mais felizes com os espaços que estamos conseguindo ocupar já com o filme pronto. Se fazer presente numa janela de exibição com alcance nacional é o desejo e o propósito de qualquer realizador em cinema. Fazemos filmes para isso: para serem vistos e debatidos.”, pontua Luciana Vieira, produtora do filme.

 

PARCERIA COM MÃES DA RESISTÊNCIA

 

Durante a pesquisa de personagens ocorrida na elaboração do roteiro do filme, a equipe do projeto encontrou apoio na associação Mães da Resistência, movimento do qual duas personagens do documentário fazem parte. O coletivo é co-organizador desta Sessão Especial e conduzirá o debate após a exibição do filme.

 

A associação Mães da Resistência é composta por mães e familiares de pessoas LGBTQIAP+ e desenvolve um trabalho de acolhimento às famílias além de articulações no intuito de promover mais diversidade no mundo. Falar de mães que escolhem abraçar, amar e serem felizes com seus filhos LGBT é enriquecer uma cultura de paz que tanto precisa ser alimentada em nosso país. O grupo acredita nessa militância, que através do amor vence o medo, transformando vergonha em orgulho, lembrando que em coletivo somos muito mais fortes.

 

“Penso que a maior barreira para uma família conceber ser feliz com um filho que destoa do que se esperava é a ideia de que só existe uma forma de ser, uma única maneira de ser bom ou adequado. Isso é uma grande farsa e muitos de nós trilhamos caminhos de sofrimento sendo reféns de algo que, para falar a verdade, nem existe. O que é ser normal!? Ter um filho que escolhe se mostrar como é, sabendo de si e do mundo, é um enorme presente, na verdade. Ao lado das Mães da Resistência pude junto à minha família construir a possibilidade de viver uma vida plural, colorida… única! No convívio com pessoas que vivem situações semelhantes às que vivemos, aprendemos que é possível sim ter alegria, paz, sossego, etc. Amor é ação e a gente aprende a agir junto. Um pedaço do mundo pode nos nutrir de tudo o que precisamos”, reflete Yandra, personagem do filme e participante do Mães pela Resistência.

 

 

INFORMAÇÕES SOBRE O FILME

 

Sinopse: Quatro mulheres distintas e mães de pessoas LGBTQIAP+ compartilham suas vidas e suas experiências em relação à maternidade.

 

Duração: 75 minutos Gênero: Documentário. Ano de lançamento: 2022

Classificação indicativa: Livre.

 

Link para material de divulgação: https://drive.google.com/drive/folders/1U2DSJVD0yX_kRcyj7eutqyDKOmWF_Xzj?usp=shari ng

 

Fotos de bastidores (fotos de Jorge Silvestre): https://drive.google.com/drive/folders/1wb_X1IncniCbo33vX2YRZnsRdm-5qBE2?usp=sharin g

 

Trailer no vimeo: https://vimeo.com/724484770

 

 

SOBRE OS DIRETORES

 

Tarcísio Rocha Filho cursou Cinema e Audiovisual na UFC – Universidade Federal do Ceará. Acumula experiências como diretor de arte, assistente de arte, realizador e roteirista em diversos curtas, longas e séries audiovisuais. Como diretor de arte atuou na série “Se Avexe Não”. Como assistente de arte atuou nos longas “O Clube das Mulheres de Negócios”, “Bem Vinda a Quixeramobim”, “O Shaolin do Sertão”, “Cine Holliúdy 2” e a série “Rensga Hits”.

 

Victor Costa Lopes dirigiu o curta-metragem “De terça pra quarta” (2015), o longa-metragem “O Animal Sonhado (2015); a série documental “Identidade #Transvive” (2020); o curta-metragem “Revoada” (2019), que ganhou prêmio de Melhor Curta Novos Rumos no Festival do Rio 2019; e o longa-metragem documental “As Cores do Divino” (2020). Também atua como montador e roteirista.

 

Wislan Esmeraldo é formado em Cinema pela Universidade Federal do Ceará. Participou de importantes festivais com seus curtas-metragens, “Tenho um dragão que mora comigo” e “Para minha mãe”. É codiretor e corroteirista do filme “Guerra da Tapioca” (Globoplay) e das séries de TV “Identidade, #Transvive”, “Se Avexe Não” e “Trago a pessoa amada”. É codiretor do longa “Um pedaço do mundo”.

 

 

SOBRE A PRODUTORA

 

Luciana Vieira atua como produtora, roteirista, diretora. É co-roteirista e co-diretora das série “Meninas do Benfica” (Canal Brasil), co-diretora da série “Lana & Carol” (Tv Futura), co-diretora do telefilme “Guerra da Tapioca” (Globoplay) e uma das criadoras do sitcom “Se Avexe Não”. Produziu a série “Identidade #Transvive” (Looke) e o documentário “As Cores do Divino” (Canal Brasil).

 

 

EQUIPE TÉCNICA

 

ELENCO

Márcia Berreto, Diana Berreto, Marlene Moreno, Assis Júnior Moreno, Vicença Soledade, Flávia Soledade, Iarley Soledade, Yandra Lôbo, Ribamar Neto, Bernardo Lôbo e Raul Lôbo

 

ROTEIRO E DIREÇÃO

Tarcísio Rocha Filho, Victor Costa Lopes e Wislan Esmeraldo

 

PRODUÇÃO

Luciana Vieira

 

PESQUISA

Ed Borges

 

ASSISTENTE DE PESQUISA

Beatriz Lizavieta

 

ESTAGIÁRIA DE PESQUISA

Larissa Estevão

 

DIREÇÃO DE PRODUÇÃO

Clara Bastos

 

ASSISTENTE DE DIREÇÃO

Grenda Costa

 

ESTAGIÁRIA DE DIREÇÃO DE PRODUÇÃO

Larissa Perdigão

 

ESTAGIÁRIO DE PRODUÇÃO EXECUTIVA

Luan Oliveira

 

DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Daniel Correia

 

ASSISTENTE DE FOTOGRAFIA

Gabriela Oliveira

 

ESTAGIÁRIO DE FOTOGRAFIA E LOGAGEM

Alian Minerva

 

TÉCNICO DE SOM

Breno Furtado

 

MICROFONISTA

Lure Furna

 

TÉCNICO DE SOM ADICIONAL

Rodrigo Fernandes

 

MONTAGEM

Mariana Nunes Gomes

 

ESTAGIÁRIOS DE MONTAGEM

Evye Alves Fabiano Nardy

 

EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM

Lucas Coelho

 

CORREÇÃO DE COR

Daniel Correia

 

COMPOSITOR DE TRILHA SONORA ORIGINAL

Roberto Borges

 

STILL

Jorge Silvestre

 

IDENTIDADE VISUAL E CARTAZ

Porão AC

 

TRANSPORTES

Zurc Vans

 

CATERING

Coalhô

 

CONTABILIDADE

PME Simples Contabilidade

 

 

 

SERVIÇO

 

Sessão especial de “Um Pedaço do Mundo”

Data: 5 de maio de 2023 | Horário: 19h | Classificação indicativa: Livre | Acessibilidade:

filme com legenda descritiva (closed-caption)

Local: Cineteatro São Luiz – Rua Major Facundo, 500 – Centro (Fortaleza-CE)

Entrada Gratuita

 

ultimas

Assine nossa newsletter e receba todas as novidades !